Finanças 4.0! O que isso tem a ver com sua carreira ou seu negócio?

Atualizado: 7 de mar. de 2019

Saiba como o Universo 4.0 pode afetar, radicalmente, a sua carreira ou a continuidade de seu negócio.



Nos últimos anos os termos Mundo 4.0 e Indústria 4.0, têm sido objeto de discussão entre profissionais iniciantes e executivos de alto escalão. Mas o que significa isso afinal e o porquê é extremamente importante?


Uma tendência que pode te tirar do mercado!

"As máquinas formarão uma rede conectada e tomarão decisões inteligentes... O mundo 4.0 vai redesenhar a participação humana nos negócios e rotinas no trabalho."

O termo Mundo 4.0 ou Indústria 4.0, como também é conhecido, surgiu pela primeira vez na Feira de Hannover em 2011. Implica na cadeia de valor de sistemas produtivos que contemplam máquinas, pessoas, empresas e ativos que atuam de forma integrada e inteligente, tornando toda a cadeia autônoma.


Como a cadeia de valor irá interferir nos sistemas de produção de forma inteligente?

Por meio da alta tecnologia, toda a cadeia de valor se conectará e tomará decisões sozinha sem a necessidade da interação humana. Decisões que ora são tomadas por pessoas serão tomadas pela inteligência artificial. Por exemplo, uma máquina detectará uma falha e agendará a manutenção sozinha, o galpão de estoque detectará baixa no estoque e emitirá uma ordem de compra automaticamente, ou ainda, uma fábrica inteira reprogramará a sua produção, em caso de acidente, no sistema de transporte do fornecedor, tudo isso de forma integrada e autônoma.

Em outras palavras, no Mundo 4.0 as máquinas formarão uma rede conectada e tomarão decisões inteligentes, integradas e com base em um volume informacional sem precedentes. O Mundo 4.0 vai redesenhar a participação humana nos negócios e no trabalho também.


Quais os impactos dessas transformações nas atividades financeiras das organizações e em todas as operações dos profissionais da área?

"Nasce as Finanças 4.0 onde os profissionais da área poderão, enfim, se dedicar a atividades que geram valor para a empresa e amplie sua performance."

Em muitas organizações, a atividade financeira se resume em contas a pagar e a receber, onde o tesoureiro realiza os controles. Entretanto, nas Finanças 4.0, essas atividades serão substituídas por robôs que irão emitir ordens de compra e de pagamentos em tempo real para os fornecedores e clientes, considerando o fluxo de caixa da companhia. Além disso, outros processos e rotinas da área deixarão de fazer parte das atividades operacionalizadas pelo esforço humano.


Mas isso não significa que a atividade de finanças ou os financistas perderão seu espaço no mundo corporativo. Muito pelo contrário, a atividade de finanças organizacionais sofrerá uma considerável ampliação do seu papel. Com o nascimento das Finanças 4.0, os profissionais que atualizarem, constantemente, seus conhecimentos, poderão se dedicar à atividades que geram valor para a empresa e amplie sua performance. Ao invés de controlar contas a pagar e a receber, o financista do futuro irá desenvolver atividades como: planejamento estratégico e tático da organização, negociação com clientes e fornecedores, e decisões de investimento e financiamento.


Qual será o papel dos financistas nas empresas ou em seu próprio negócio?


Planejamento estratégico e tático da organização: nas Finanças 4.0, o papel do financista será ainda mais crítico em decisões financeiras no âmbito da administração estratégica. Ele tomará decisões importantes a respeito do Planejamento Estratégico, relacionadas a alocação dos recursos necessários para o alcance dos objetivos, assumirá pro vezes o papel de direção estratégica ao determinar o melhor modelo de gestão dos recursos e atuará no controle estratégico, para avaliar o sucesso da organização no cumprimento de seus objetivos. Ressalta-se, neste ponto que, essas atividades não poderão ser substituídas por robôs.


Negociação com Clientes e Fornecedores: nesse cenário o financista deverá negociar os valores que sua organização transitará na Cadeia de Valor. Máquinas e robôs não podem substituir atividades que envolvam relações humanas, e a atividade de negociação é uma dessas atividades. A negociação envolve uma relação de poder complexa que é ponderada pelo poder de barganha entre os envolvidos, suas expectativas de curto e médio prazo, além das informações disponibilizadas por cada um. Máquinas não entendem relações de poder. Dessa forma, o financista entrará nesta atividade e negociará de forma mais sustentável possível os preços a serem praticados.


Decisões de Investimento e Financiamento: o profissional de finanças ainda tomará decisões de obtenção e alocação de recursos dentro de sua organização. A razão para isso é simples: tomar decisões requer a assunção de responsabilidade. Em outras palavras, para cada decisão em uma organização tem de haver um ser humano que será responsável em caso de sucesso ou de fracasso. Máquinas não podem ser responsabilizadas. Dessa forma, mesmo que com o auxílio de robôs, é o financista que apertará o botão de “comprar” ou “vender” no mercado financeiro.


Quais serão as novas competências exigidas para os profissionais de finanças no Universo 4.0?

"...o segredo para ter sucesso no trabalho e nos negócios é desenvolver a capacidade de aprendizado conjugado nas áreas de Finanças, Tecnologia da Informação e Business Intelligence..."

Domínio de plataformas e tecnologias da informação: as decisões tomadas pelo profissional de finanças serão pautadas pelos sistemas de TI, que irá transformar grandes bases de dados em informação, que será usada para respaldar as decisões. O profissional de finanças deverá ser capaz de dominar as principais ferramentas disponíveis no mercado.


Domínio da Internet: o profissional de finanças precisa dominar bem as ferramentas de Internet para manter todo o sistema atualizado com as novas tendências e informações.


Network: este, como sempre continua sendo um dos principais ativos das organizações e arsenal curricular do profissional de finanças. É por intermédio dele que novos negócios poderão ser fechados com a organização preservando a competitividade.


Linguagem computacional: não é necessário ser um programador profissional, porém, precisará entender termos como servidor, DNS, IP, Big Data, dentre outros. Além da segunda língua, como inglês, espanhol, mandarim ou francês, o que condiciona à uma necessidade de se falar com fluência o “informatiquês”.

As expectativas para o futuro parecem ser bastante desanimadoras, mas não é correto encarar dessa forma. A chegada da Finanças 4.0 nos proporcionará uma vasta área de novas responsabilidades e desafios. A área de finanças continuará sendo uma atividade estratégica e tática em qualquer organização e as atividades que exigem alto nível de competências, habilidades e atitudes sempre irão existir.


Diante desse cenário, o segredo para ter sucesso no trabalho e nos negócios é um só. Desenvolver a capacidade de aprendizado interdisciplinar, nas áreas de Finanças, Tecnologia da Informação e Business Intelligence, uma vez que o profissional que percorrer esse caminho não poderá ser substituído por máquina alguma no planeta.


Tiago Alves Costa, CEO UP-SOLLUTION Consultoria Financeira e Educação Corporativa


24-fevereiro 2019.


414 visualizações3 comentários